Blog

Gostou dos nossos conteúdos? Cadastre-se abaixo e receba em seu e-mail

20 de junho de 2018

Design Thinking: Entenda como aplicar na sua empresa

“Inovar” faz parte do processo de recriar, reconstruir, encontrar brechas em necessidades que ainda não são atendidas pelos mercados existentes. Mas não é fácil ser bem-sucedido em um mundo que lateja frequentes tentativas de inovar. Graças a esse pensamento e à busca por ideias disruptivas é que o Design Thinking tem ganhado muita força.

O que é Design Thinking

Não falamos aqui da qualidade estética de algum processo de criação e pensamento, apesar do nome sugerir isso como uma primeira interpretação. Design Thinking é, na prática, uma abordagem de planejamento focada no humano e na multidisciplinaridade.

É uma maneira de pensar que utiliza-se do pensamento abdutivo, aquele que busca confiabilidade e validez total. Ele possui característica de intuição e contém a melhor explicação para determinados “problemas”.

Sendo assim, o Design Thinking é uma abordagem que objetiva encontrar as melhores soluções possíveis para desafios cotidianos de onde se aplica. Isso porque inicialmente era pensado para o universo do Design, mas hoje é utilizado nas empresas para resolver situações cotidianas e que precisam de resoluções de teor inovador.

As fases do Design Thinking

A aplicação do Design Thinking acontece através da realização de três fases iniciais, que são Imersão, Ideação e Prototipação. Apesar de existir essa linha de raciocínio, o Design Thinking não é um modelo de pensamento e planejamento linear. Dessa forma, é possível que o processo seja iniciado em Imersão e que haja resquícios de prototipação nesse meio. Isso porque tentativas de prototipação são naturais de ocorrer em todas as fases do nosso pensamento.

Como aplicar o Design Thinking

Se você tem pensado em aplicar esse processo na sua empresa, precisa entender como é o funcionamento prático dele sem que haja “perda de tempo” com tentativas vazias. Sendo assim, preparamos algumas dicas de aplicação:

Tenha empatia

Não tem nenhuma possibilidade de sucesso uma aplicação de Design Thinking que não considere a empatia como item primordial para todo o processo de criação. Entender a dor do outro é fundamental para que o pensamento e a solução construída seja realmente funcional.

Valorize a Co-Criação

É preciso que haja abertura para que a criação seja coletiva e que a multidisciplinaridade seja aplicada na prática. Dessa forma, vale lembrar que não é aceitável nesse processo que haja repressão de ideias. Ou seja, tudo precisa ser aceito e justificado de forma que as ideias sejam reaproveitadas e recicladas. Com sabedoria!

Experimente!

Não espere alcançar a perfeição logo de cara. O mínimo possível de criação já é satisfatório para que a solução seja alcançada em um momento próximo. É com esse mínimo que os testes serão feitos e o resultado ideal será alcançado brevemente.

Aplicando o Design Thinking

Para aplicar, efetivamente, o Design Thinking é preciso seguir as 3 dicas citadas acima. Além disso, é necessário que a empresa ou equipe se deixe imergir no contexto de composição do projeto e delimite, de forma detalhada, o problema ao qual estão se dispondo a solucionar.

Sabendo o problema e estando totalmente imerso no cenário, a equipe precisa identificar oportunidades de inovação e criar sugestões plausíveis de resolução. E é nessa hora que eu repito, não vale julgar a opinião dos colegas de equipe. Nessa fase, o “não” é proibido.

Depois de imergir e buscar saídas alternativas para os problemas identificados, é a hora de colocar a mão na massa e experimentar/prototipar a solução. Vale lembrar que não é para prototipar algo e “deixar pra lá”. É preciso fazer análises constantes e ajustes igualmente frequentes.

A importância

Você pode estar imaginando “mas, ok, eu preciso identificar o problema, arrumar uma solução e prototipar, o que tem de diferente nesse processo?”. A inovação no Design Thinking vem justamente do uso de cores, desenhos, infográficos, mapas mentais e outros artifícios para desenhar as melhores alternativas.

É essa a prática que vai identificar todos os empecilhos presentes no cotidiano do “problema”. Ela leva em conta, inclusive, a real possibilidade de aplicação e operacionalização, além do investimento e retorno financeiro.

Inovação e Empreendedorismo

Para colocar em prática e obter resultados disruptivos na sua empresa, você precisa vivenciar uma experiência completa com o Design Thinking. Dessa forma, você poderá levá-lo para o seu dia a dia profissional e pessoal. Ou seja, trabalhar com todo o processo de geração e desenvolvimento de solução, seja para um negócio, produto, serviço ou processo.

Para isso, clique aqui e fale com um especialista sobre o curso prático “Inovação e Solução de Problemas com Design Thinking” e comece agora mesmo a planejar a sua próxima decisão disruptiva.

Veja Mais Artigos
1
Oi, tudo bem? 😄
Aqui é o Bruno, do IEEP
Tem alguma dúvida? Ficarei feliz em te ajudar!
Powered by