BLOG IEEP

Os melhores artigos em
Gestão Ágil e Liderança

5 de maio de 2020

Aplicação do Design Thinking: como essa metodologia ajudou a GE?

design thinking é um conceito bastante interessante do mundo moderno, especialmente para aquelas empresas que querem inovar ou encontrar uma forma mais simples e focada no usuário de resolverem os seus desafios. Porém quem não tenta familiaridade com essa abordagem pode se assustar por acreditar que ser um modelo muito complexo ou que necessita de conhecimentos técnicos específicos para poder aplicar. Viemos para quebrar esses mitos!

Então, se você tem dúvidas sobre este assunto ou quer entender como ele funciona na prática, entenda como o design thinking contribuiu para o negócio da GE e como se inspirar com este caso.

O que é design thinking?

Primeiramente, vamos lembrar rapidamente o que é design thinking: esta é uma abordagem criativa para a resolução de problemas, que ajuda as empresas a inovar de forma mais eficiente e consistente.

A maior diferença é que o design thinking prega um modelo de empatia e imersão. Este conceito fica mais claro no exemplo, mas a ideia é que quem resolve o problema realmente mergulha nele.

Caso você necessite de um entendimento maior sobre essa abordagem, fizemos um texto inteiro falando sobre o que é o Design Thinking e quais as suas principais etapas. Para acessá-lo, basta clicar aqui.

Como o design thinking ajudou a GE?

Agora que já ficou um pouco mais claro o que é o design thinking, entenda como ele ajudou a GE a resolver um grande problema.

Um dos produtos que a GE estava procurando desenvolver era uma nova máquina de ressonância magnética. Talvez você não reconheça de primeira de que máquina estamos falando, mas é possível que já tenha até mesmo feito um exame em uma.

Veja se você se lembra:

Case de aplicação do Design Thinkin ressonância magnética

A ideia era criar uma máquina com o máximo da tecnologia, que seria muito eficiente. Afinal, estamos falando de um equipamento com muito valor agregado e que permite que a equipe médica “olhe” dentro do seu corpo sem precisar fazer um único corte.

Depois de anos de trabalho e muitos recursos investidos no desenvolvimento desta máquina, o responsável pela criação, Doug Dietz, foi a um hospital próximo ver o resultado. Chegou lá bastante orgulhoso de si mesmo, afinal, seu design estava concorrendo a um prêmio na International Design Excellence Award, basicamente o “Oscar do design”.

Porém, ao chegar lá, deparou-se com uma cena horrível.

Uma menina de 7 anos precisava fazer um exame e estava completamente desesperada. Chorava e gritava que não queria ir, totalmente apavorada. O desespero era tanto, que foi necessário chamar um anestesista, já que o exame demandava que a menina ficasse totalmente parada.

Se olharmos por uma visão de produto, a criação poderia até ser perfeita. Mas olhando pela visão do usuário (a mais importante no Design Thinking), vemos que a solução possuía uma falha crítica: causava medo em alguns pacientes.

Portanto, ele mudou a forma como pensava no problema que estava ali para solucionar. Através de um exercício de empatia, não pensou na máquina em si, mas nas pessoas que fariam o exame.

Utilizando a abordagem do Design Thinking, a equipe desenvolveu formas criativas e simples de solucionarem o seu novo desafio.

Então, se o problema estava na experiência de entrar na máquina, que até então era robusta e amedrontadora, porque não transformá-la em um brinquedo?

Sem precisar de grandes investimentos ou retrabalho para fazer com que o equipamento fosse amigável para crianças, a equipe transformou todo o ambiente das salas de ressonância magnética dos departamentos pediátricos em um cenário infantil feito apenas com o uso de adesivos.

Case de aplicação do Design Thinkin ressonância magnética

Com a nova aparência de navio pirata ou nave especial, as crianças passavam por uma experiência prazerosa e amigável ao invés de fazer um exame assustador.

Qual é a lição do caso da GE para o seu negócio?

A forma como o design thinking contribuiu para o negócio da GE traz ótimas lições, como a necessidade da imersão e empatia. Afinal, se o responsável pelo projeto não tivesse ido pessoalmente no hospital, jamais teria percebido o problema e pensado em uma solução para corrigi-lo.

Faça uma imersão no problema do cliente e entenda como esse desafio afeta os mais diversos usuários. Além de construir uma solução muito mais efetiva, ela pode ser muito mais simples do que você imagina.

Então, se quiser conhecer tudo sobre o Design Thinking e aprender uma das suas principais formas de aplicação, confira o e-book completo sobre o assunto.

E-Book Design Thinking - Baixe Agora

Veja Mais Artigos
Open chat
1
Oi, tudo bem? 😄
Aqui é o Augusto, do IEEP
Tem alguma dúvida? Ficarei feliz em te ajudar!